andragogia

Conceitos chaves em andragogia

terça-feira, 24 de Abril de 2012

Educação na Idade Moderna


 Historial da Educação na Idade Moderna

Introdução 

Para a compreensão de um dado facto, é sempre necessário conhecé -lo no passado. Neste âmbito, o grupo pretende com o tema “Educação na Idade Moderna”dar conceito do que é a Educação, e caracteriza-la na idade moderna tendo em conta que são vários pensadores que deram seu contributo a volta da Educação nessa era. Contudo, todos defendem que a Educação nesta era, dava oportunidade a todos aqueles que a pretendesse, com finalidade de proporcionar-lhes conhecimentos, capacidades e habilidades para a vida, isto é, desenvolver competências no educando para enfrentar a sua própria vida. É neste sentido que o autor, através da metodologia de pesquisa bibliografica,  desenvolveu o tema.
 

1.      Historial da Educação na Idade Moderna

Foi nesta época no século XVII que a classe capitalista se opunha ao feudalismo. A produção apresentava-se de forma colectiva, é nessa época que a igreja detinha certo controlo sobre a Educação. Surge uma contestação por parte dos reformistas que queriam dissociar a Educação da religião.

O homem lançava-se para as ciências (Química, Medicina Física) no domínio das técnicas de produção. É nesta fase que a Pedagogia se torna ciência, o Homem se empenha no estudo das ciências e o abandono progressivo do estudo das línguas grego-latinas. Daí a Educação deixa de ser considerada como um meio de aperfeiçoar o corpo e passa a ser um fim (objectivo).

2.      O conceito da Educação

Por complexidade da palavra Educação, ela é definida por varias maneiras e por vários pensadores. Nesta mesma linha de pensamento, e tendo em conta que cada sociedade concebe a educação que lhe convêm, esta pode ser entendida como “processo pelo qual a sociedade forma seus membros à sua imagem e função dos seus interesses” (PINTO, 2000: 29)

- Educação “é um conceito amplo que se refere ao processo de desenvolvimento unilateral da personalidade, envolvendo a formação de qualidades humanas – físicas, morais, intelectuais, estéticas, tendo em vista a reorientação da actividade humana na sua relação com o meio social num determinado contexto de relações socais” (LIBÂNEO, 1999: 22).

3.      Características de Educação na Idade Moderna

Reconhecendo as transformações e evoluções que ocorreram na Educação desde a época primitiva até a Idade Moderna, houveram vários pensadores que deram o seu contributo.

Segundo esses pensadores da era moderna, caracterizai-a nos seguintes moldes:


João, pastor e bispo da Igreja da Moravias um dos mais importantes pensadores educacionais da época, editou vários livros educacionais sobre os mais diversos assuntos.
3.1.  João Amos Comenius – (1595 - 1670), Didáctica Magna.

Na sua obra Didáctica Magna entre os vários assuntos, destaca: a finalidade de educação, o conteúdo da educação, o método e a organização das escolas.

Comenius, defendeu o “democratismo”, dizia que a escola devia ser para todos sem ter em conta a condições sócias. Dizia também que organizar um sistema ao ensino de criança com diferente capacidade com vista os mais capazes deviam ajudar os menos capazes. Defendeu Aida o principio “sensualismo”, em que o ensino tinha que começar pelos órgãos de sentido (ouvir, ver e sentir) e a partir deste principio formula o método directo e intuitivo, que consiste em utilização de material concretizador na administração de aulas, isto é, partindo de coisas concretas.

Segundo Comenius “a finalidade de Educação é ajudar a alcançar o ultimo fim do homem que é a facilidade eterna com Deus”

Portanto a Educação na Idade Moderna tinha como objectivo preparar o homem para a vida. Devendo com isso adquirir certas qualidades como: reconhecimento, a vontade e a piedade.

3.1.1.      Organização das escolas

Segundo Comenius “a organização do sistema educacional devia compreender 24 anos, divididos em etapas ou escolas”.

-          Escola de infância ou materna (0 – 6 anos)

Educação familiar com a função de ensinar a criança a falar e cultivar os sentidos.

-          Escola Vernácula (elementar), (6 – 12 anos)

Escola Vernácula em cada município devia existir, com a função de desenvolver a língua materna, leitura, canto, ciências sociais, aritmética e a memoria;

-          Escola latina ou ginásio (12 – 18 anos)

Em cada cidade devia existir este tipo de escola, com a função de desenvolver a ciência;

-          Academia ou Universidade (18 – 24 anos)

Devia existir em cada capital, com recomendações de trabalhos práticos e viagens para contemplar a natureza.

Como continuação deste, o Camenius propunha o Colégio da Luz, uma instituição dedicada ao estudo científico de todo e qualquer assunto.

3.2.      John Lock (1632 - 1704) o método moderno

Com o método moderno, o Lock evidenciou a importância do professor a ter em conta com a psicologia da criança, refere-se as particularidades das crianças, que difere de uma criança a outra.

De acordo o Lock, encontramos duas ideias fundamentais da Pedagogia:

1ª A Educação próxima da vida, tinha que ser prática e utilitária. Para Lock, “a Educação visava o desenvolvimento do pensamento livre, espírito crítico independente e preparação para a vida real”.

Segundo ele, “as disciplinas tinham que incluir conteúdos que tinham relação com a vida pratica”;

Exemplo: contabilidade, carpintaria, jardinagem, actividades laborais e ensinava o uso de métodos directos, activos e práticos e também não deixou de fora as actividades lúdicas.

O ensino individual. O ensino tinha que se organizar tendo em conta as inclinações da criança e consequente individualização do ensino segundo essa inclinação. Não era apologista de ensino por classe ou aula colectiva.

Na Pedagogia Lock, a criança deve-se colocar no centro do processo educativo e a ligação entre a pedagogia e Psicologia, foram os grandes contributos do Lock.

3.3.      Jean – Jacques Rosseau (1712 - 1778)

Jean – Jacques Rosseau, colocou pela primeira vez as questões de infância de Educação, defendeu que “o mundo das crianças era diferente do mundo dos adultos e por isso os conteúdos da Educação da criança tinham que ser diferente aos dos adultos”. Afirma ainda que “ a criança não devia ser forcada a entender fenómenos que não entende”.

Ele, considerou a Educação como sendo “um processo natural e não artificial; sendo natural havia toda necessidade de se ter em conta o desenvolvimento do individuo desde a nascença ate toda sua vida ou processo continuo para toda a vida”. Defendeu a simplificação do processo educativo, a e4ducacao devia ser simples privilegiando a demonstração dos objectos.
Rosseau deu importância a criança, dizendo que “não podemos considerar a criança como um pequeno adulto em miniatura”.

Devido a sua inclinação em psicologia, foi o primeiro a introduzir o princípio de idades na aprendizagem.

3.4.      Johann Henrich Pestalozzi (1746 - 1827)

Pestalozzi defendeu como princípios fundamentais “a observação e a percepção sensorial”.

-          Privilegiava a ligação entre a linguagem e a observação. Segundo ele, “em qualquer ramo de conhecimento os conteúdos devem partir do mais simples para mais complexo, e tem haver com o desenvolvimento do indivíduo”.

Pestalozzi veio incrementar reforma na sociedade, usa a Educação nas camadas populares para atingir as suas reformas na sociedade.

-          Criou um instituto para crianças desfavorecidas onde seu objectivo principal era permitir o desenvolvimento psíquico da criança.

3.5. John Dewey (1859 - 1952) a Educação pela Acção

Dewey defende “um ensino pela acção e não pela destruição”, a sua pedagogia baseava-se no interesse. Para ele, “o interesse ‘e uma coisa dinâmica, portanto está ligado a própria actividade que desenvolve se com a complicar do processo, a achava educação pragmática”. Defende ainda a participação do indivíduo na actividade, na forma consciente.

Segundo Dewey, “o processo pedagógico tem dois aspectos: Psicológico e Social

  • Aspecto Psicológico. Consiste em desabrochar as potencialidades que traz ao nascer;

  • Aspecto Social. Consiste em preparar o indivíduo para se adaptar as obrigações que dever’a cumprir quando for adulto na sociedade.

De acordo com o Dewey, “ a escola deve realizar-se em forma de comunidade; a função do Estado é adoptar de meios para integrar e desenvolver integralmente as suas actividades; as matérias escolares são organizadas em termo da própria comunidade”
-          Primeiro ensinar as crianças as matérias que vão familiarizá-las no ambiente em que está no tempo e espaço;

-          As crianças devem ser ensinadas as matérias que vão fornecer instrumentos para aprofundar as primeiras leituras e escritas. Em paralelo, devem ocorrer as actividades expressivas ou manuais (cozinhar, costurar, carpintaria e mercearia).

3.5.1.      O método de Dewey

Para ele a experiência da vida se apresenta diante de problemas que a Educação deve ajudar a resolver. Assim o método para resolução desses problemas, é o da Indagação

As indagacoes têm vários momentos:
  1. Situação problemática onde é indispensável que a criança possa fazer em muito e livremente as experiências de tal modo que, no decurso destas, possa emergir certa altura, situações problemáticas (qualquer que aprende é algo de novo).
  2. Desenvolvimento das ideias, mediante o raciocínio ou seja, o momento da intelectualização;
  3. Observação na experiência. Provar várias hipóteses;
  4. Reelaboração das hipóteses;
  5. Verificação ou aplicação prática.


3.6.William Kilpatrick (1871 - 1968) Método de Projecto

O Kilpatrick, foi o percursor da teoria de Dewey. Ele, adoptou um ensino mais global e menos segmentado e disperso com o seu método de projecto.

-          Com esse método dos projectos, pretendia prepara a criança para a vida futura (projecto de produção, de consumo, para resolver um problema, aperfeiçoar uma técnica de aprendizagem), cuja sua implementação era feita fora da escola.

Para ele um bom projecto didáctico, era aquele que apresentava as seguintes características:
-          Actividade motivada;
-          Plano de trabalho, de preferência manual;
-          Diversidade globalizada do ensino;
-          Ambiente natural.

3.6.1.      Princípios educacionais do Kilpatrick

Para que ele alcançasse os seus objectivos com o seu método, elaborou os seguintes princípios:
       1º. Não ceder aos interesses nem reprimi-los. Isto é, malograr este trabalho de descoberta que terá como resultado certo a substituição do capricho pelo verdadeiro interesse (ceder aos interesses) e reprimir interesse implica colocar o adulto na situação de criança e enfraquecer a curiosidade e velocidade que traz.

Essa doutrina busca a Educação no interesse, substitui o capricho a experiência rudimentar e desordenada da criança pela sua experiência organizada e amadurecida do adulto.
Segundo ele, “o verdadeiro pedagogo é aquele que graças a sua ciência e experiência, é capaz de ver nos interesses não só pontos de partida para a educação, mas possibilidade que conduzem a um objecto ideal”.



  1. Conclusão
Fazendo uma analise conclusiva, de acordo com as pesquisas feitas pelo grupo, quanto a abordagem do tema sobre “Educação na Idade Moderna ”, o grupo constatou que  A Educação é definida por varias maneiras e por vários pensadores. Nesta mesma linha de pensamento, e tendo em conta que cada sociedade concebe a educação que lhe conve, esta pode ser entendida como “processo pelo qual a sociedade forma seus membros à sua imagem em função dos seus interesses. Por sua vez, na Idade Moderna, a Educação dava oportunidade a todos aqueles que a pretendesse e tinha como finalidades, proporcionar conhecimentos científicos, capacidades e habilidades aos beneficiários, para enfrentarem as situações da vida; desenvolver competências no educando para enfrentar a sua própria vida e as necessidades da sociedade onde está inserido.   De entre várias ideias de vários pensadores destacados a volta da educação nesta era, todas vê a educação como instrumento usado para a preparação do Homem para a vida.




  1. Bibliografia

GADOTTI, M. Capitulo 6 – Historia das Ideias Pedagógicas. Editora Ática: São 
                           Paulo. 1998.
                                      
COMENIUS, Amos. Hisotria da Educacao    disponivel em:   http://www.histedbr.fae.unicamp.br/res
                                     220. Pdf.. Acesso: Marco de 2009

BETINI, Rita Filomena Andrade Januário. Educação na Idade Moderna. Capitulo                  
                                                                            3. www.avercamp.Comber/ livros/

Sem comentários: